Antes de começarmos, uma pergunta importante: quão bem você conhece o caixa do seu negócio?

Ter esse controle é de extrema importante no dia a dia, mas principalmente em momentos de crise como a que o mundo está passando agora com o COVID-19. Com a expectativa de grande diminuição de receitas para empreendedores de diversos segmentos,  a gestão correta do caixa será a principal ferramenta para garantir a sobrevivência das empresas. 

Ter um fluxo de caixa organizado te ajudará, por exemplo, a responder às seguintes perguntas:

  • Qual o valor mínimo necessário para sua empresa rodar?
  • Quanto dinheiro vai precisar nesses próximos meses para não quebrar?
  • Caso precisasse pegar um empréstimo hoje, qual seria a quantia para manter a sua empresa?

É fundamental que o empreendedor tenha essas respostas na ponta da língua para tomar as decisões corretas e garantir a saúde financeira do seu negócio nos próximos meses. E para isso seu principal aliado será o fluxo de caixa, que é o controle diário, semanal ou mensal de tudo o que sai (despesas) e tudo o que entra (receita) no caixa da empresa.

>> Confira 5 dicas de como melhorar seu controle receita x despesas.

Você pode fazer esse controle no papel, em uma planilha ou em um software como o Granatum. O importante é levantar esses dados e atualizá-los com frequência para entender em tempo real a situação financeira do seu negócio.

Os conceitos básicos que integram o fluxo de caixa são:

  1. Saldo inicial;
    É o dinheiro disponível em caixa e em todas as contas bancárias.
  2. Entradas de caixa;
    São vendas à vista e outros recebimentos do período.
  3. Saídas de caixa;
    São todos os pagamentos feitos no período.
  4. Saldo operacional;
    É o resultado das Entradas de caixa menos as Saídas de caixa.
  5. Saldo final de caixa.
    É a soma do Saldo inicial com o Saldo operacional.

Vamos detalhar rapidamente: seu saldo inicial é o que você tem neste momento incluindo a reserva financeira. Esse valor precisa ser contabilizado pois é com ele que você está começando o mês – e a partir dele as contas serão realizadas.

Seu total de saídas de caixa diz respeito à soma de todos os custos mensais que você tem pra manter a empresa em funcionamento, sejam eles fixos ou variáveis. É importante colocar nesse controle todos os gastos previstos para este ano considerando cada mês. Isso te dará uma visão de qual será a sua dívida mensal daqui pra frente.

Em seguida teremos o mesmo comportamento em relação à frequência das entradas de caixa, que são todos os pagamentos que você já tem certeza que vão entrar no caixa da sua empresa.

O resultado das entradas de caixa menos as saídas de caixa te dará a informação do valor de seu saldo operacional, ou seja, o resultado financeiro de cada mês.

Ao juntar seu saldo operacional com o saldo inicial, você terá o saldo total. Esse valor será o total de dinheiro que o empreendedor terá para começar o mês seguinte.

Considere o exemplo abaixo:

>> Veja dicas para organizar seu fluxo de caixa clicando aqui.

Recapitulando: 

  • Em Saldo Inicial, na primeira linha, você vê o valor com que a empresa começará cada mês – levando em consideração a quantia existente do ponto em que você começou a calcular seu fluxo, passando pelas movimentações de cada mês seguinte.
  • Na segunda linha estão as Entradas de Caixa de cada mês, seguidas pelas Saídas de Caixa na terceira linha. Esses são os valores que a empresa recebeu – prestando serviços ou com vendas – e aqueles que foram subtraídos do caixa – seja através de pagamentos de salário ou custos de produção.
  • O resultado da subtração do total de saídas do total de entradas é o seu Saldo Operacional, o valor previsto pelo funcionamento da empresa em cada mês.
  • Extraindo esse operacional do saldo inicial chegamos ao valor de Saldo Final, que é o valor com o qual a empresa começará o próximo mês e assim por diante.

Relacionando todas essas informações referentes a cada um dos meses do ano, você terá dados importantes e uma visão generalizada não apenas da saúde financeira do seu empreendimento, mas também a visão de: 

  • Quais custos vai precisar reduzir pra fechar a conta no positivo.
  • Se vai faltar ou vai sobrar dinheiro no futuro. 
  • Se é possível dar mais prazo para os meus clientes ou negociar algum prazo com os fornecedores. 
  • Se será necessário pegar dinheiro emprestado durante a crise.

Criar esse controle de forma organizada será essencial para que você compreenda suas movimentações financeiras e tenha plena consciência sobre os impactos da crise e a sobrevivência da sua empresa durante os próximos meses.

Quer testar se entendeu todas as informações e está fazendo da forma correta? Responda nosso quiz sobre fluxo de caixa clicando aqui.

Todas as informações fazem parte de uma série que estamos desenvolvendo sobre controle financeiro para auxiliar os empreendedores durante a crise, e foram disponibilizadas anteriormente através de e-mails para todos que fazem parte de nosso mailing.


Caso também queira receber esses emails antes de todo mundo, inscreva-se clicando aqui e passe a receber todo o conteúdo exclusivo que estamos criando.

Fique atualizado!
Gostaria de receber mais dicas no seu e-mail?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.