A tentativa do governo federal de trazer os trabalhadores informais para a formalidade tem mesmo dado certo. Seis anos após a criação da categoria, já ultrapassamos o número de cinco milhões de MEIs (microempreendedores individuais) que são responsáveis por 27% do PIB nacional.

Luiz Barreto, presidente do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), acredita que esse crescimento está ligado à criação do Simples Nacional, que facilitou e flexibilizou a legislação para estas empresas. O Regime tributário reduz em média 40% a carga tributária para pequenos negócios e unifica oito impostos em um único boleto, além de oferecer facilidades burocráticas já que não é preciso a figura de um contador.

A formalização traz além de pontos positivos na burocracia, mas também um aumento real nos resultados da empresa. Com algumas vantagens como direito ao crédito, benefícios do INSS, emissão de notas fiscais e facilidade para fechar acordo com outras empresas, muitos MEIs tiveram um aumento de faturamento em 55% após entrarem no mercado formal.

Se você quer saber todos os benefícios oferecidos pelo MEI, acesse o portal do empreendedor e veja se sua empresa pode ser formalizada por este registro.

O que todo microempreendedor individual deve saber para controlar o financeiro

 

A ausência de burocracia não significa ausência de gestão.

Não é preciso que você tenha um contador, contudo, você não pode trabalhar de maneira desorganizada. É preciso ter um controle em relação ao que paga, ao que recebe e quanto está ganhando.

A falta de controle financeiro é o primeiro sinal de alerta e um dos principais motivos para morte de pequenas empresas, que geralmente tem um ciclo médio de vida de 2 anos.

Além de controlar o Fluxo de caixa da empresa, é preciso também ter um controle dos gastos familiares. Assim, você terá uma ideia de quanto o negócio tem somado para a renda familiar e terá um maior controle sob suas retiradas.
Fique de olho! Um dos maiores problemas que vemos ao conversar com muitos empreendedores é a falta de organização em separar o seu dinheiro e o dinheiro da empresa. Se as retiradas estão sendo feitas sem controle e acima da capacidade de ganhos, a empresa pode estar correndo perigo de maus momentos por falta de reinvestimento.

Independente do momento que seu negócio esteja, o controle das movimentações financeiras é o que vai trazer mais segurança e tranquilidade no seu dia a dia. Além de reduzir muito os riscos de endividamento e falta de orientação e planejamento.

Tudo isso vai te ajudar também na hora de enviar algumas informações obrigatórias ao governo:

Relatório mensal das receitas

Todo Empreendedor Individual deve enviar um Relatório Mensal das Receitas que obteve no mês anterior
É necessário o envio deste relatório até o dia 20 do mês seguinte e deve ter junto ao relatório as notas fiscais de compras de produtos e de serviços, bem como das notas fiscais que emitir.

Declaração anual Simplificada (faturamento)

Anualmente o Microempreendedor Individual – MEI deve fazer a declaração do faturamento referente ao ano anterior.

 

Dicas essenciais para o microempreendedor gerenciar as finanças:

Controlar o Fluxo de Caixa

Registrar tudo que entra e sai da empresa deve ser mais do que apenas uma consciência empreendedora, mas sim um hábito. A ferramenta de Fluxo de Caixa vai te ajudar a facilitar essa importante tarefa. Gostamos de dizer que ela funciona como uma bola de cristal, onde você consegue saber em qual momento irá sobrar ou faltar dinheiro. Além de conseguir identificar facilmente onde estão as oportunidades de maiores ganhos ou corte de gastos.

Fazer um Planejamento Financeiro

Não basta ter uma visão empreendedora e um sonho “raso” de fazer a empresa crescer, é preciso ter objetivos claros e números a seu favor. E os números falam muito, por isso é importante seja feito um plano de negócios, para guiar suas ações e acompanhar o desenvolvimento da empresa em relação às metas estabelecidas.
Se você quiser ir mais a fundo no assunto Planejamento Financeiro para MEI, não deixe de conferir o nosso E-book sobre o assunto.

Ficar de olho nas despesas

Não gastar mais do que se ganha é a regra básica do jogo todo. Por isso, fique atento até mesmo nas pequenas despesas que na teoria “não faria diferença no caixa”.
Ao verificar o Fluxo de caixa e outros relatórios, você pode perceber com mais detalhamento onde estão suas maiores despesas ou se o valor que definiu para retiradas não está de acordo com o faturamento da empresa.

Usar um software online de gestão financeira.

Ao automatizar o controle financeiro, além de evitar uma série de erros que podem acontecer ao registrar os dados em planilha ou papel, você terá acesso fácil aos seus registros sempre que quiser. O ideal é que o software se torne um parceiro do seu dia, desde o começo do sonho na prática.
Ele vai te ajudar a perceber a evolução do negócio, bem como facilitar todas as atividades rotineiras como emissão de boletos, baixa de pagamentos, emissão de notas fiscais e muito mais!
O Granatum Financeiro é uma ótima opção, ele tem todas as ferramentas que sua empresa precisa para um controle financeiro online e entende exatamente como funciona a correria do seu dia. Por isso, facilite a gestão e se preocupe com o que é mais importante: o crescimento do seu negócio.


ebook banner 4 passos ciclo Microempreendedor individual também precisa gerenciar as finanças
Fique atualizado!
Gostaria de receber mais dicas no seu e-mail?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>